Quem somos?



1) Somos um pequeno grupo de voluntários que, com muita dificuldade, acolhemos, dentro de nossas possibilidades, gatos para serem castrados e adotados. Não temos abrigo e além dos gatos cuja adoção encaminhamos, temos uns 80 gatos, muitos deles idosos, que ficam em nossos lares temporários de alguns voluntários, ou seja, nossas próprias residências. Não somos ONG, mas queremos deixar bem claro que, mesmo se fôssemos, não mudaria muita coisa. Nenhuma ONG ou protetor independente tem condições financeiras e nem espaço físico para acolher os pedidos de socorro, que chegam aos montes todos os dias.

2) Conseguimos adoção para aproximadamente 350 gatos por ano, mas a quantidade de gatos que tentam nos doar é mais ou menos 10 vezes maior! Isto ocorre em ONGs e protetores independentes. Há muito mais gatos para serem adotados do que adotantes qualificados para adotá-los. Simples assim. As contas não fecham e sem programas sérios de castração em massa, a situação tende a piorar.

3) É impressionante como a maioria das pessoas se iludem, achando que “abrigos de gatos” são locais paradisíacos, sem problemas financeiros etc. Além disto, por mais dedicados sejam os mantenedores do abrigo, é inevitável haver brigas e estresse em ambiente com vários gatos juntos. Isto sem contar que, à medida em que envelhecem, gatos sem chance de adoção proporcionam crescentes despesas veterinárias às ONGs e protetores.

4) Há também pessoas que pensam que existe uma espécie de Plantão 24 horas para resgate de gatos. “Achou um gato abandonado ou com problemas? Seus problemas terminaram” - como o lema das Organizações Tabajara. Basta ligar ou passar e-mail que, do nada, uma ONG ou protetor vai aparecer voando, resgatar o gato, cuidar de todas as despesas, passar noite em claro para cuidar dele se preciso. E a maioria dos solicitantes não oferecem um centavo para ajudar, mesmo aqueles que tem condições financeiras de fazê-lo e ainda pode sair por aí dizendo que “achei um gato abandonado, mas como tenho bom coração, encaminhei-o para uma ONG ou para aquela velhinha que gosta de gatos”.

5) A taxa de adoção que cobramos dos adotantes, atualmente no valor de R$ 70, não cobre sequer nossas despesas com castração, mas temos também despesa com vermífugo, ração, antipulgas e, em alguns casos, com consultas veterinárias, medicamentos, etc. A taxa de adoção também tem por objetivo reduzir a chance de adoção por impulso, pois se o adotante não dispuser desta quantia, não está no momento preparado financeiramente para ter gatos.

6) Só de ração e granulado sanitário, gastamos mais de R$ 3.500 por mês, e somadas a outras despesas, as doações não cobrem sequer 20% das nossas despesas. Há que se considerar também que grande parte de nosso tempo é gasto com limpeza dos banheiros, responder a diversos e-mails, levar gatos para castração e consultas etc. Quantas vezes não chegamos cansados em casa e ainda temos que cuidar tanto dos gatos residentes quanto dos temporários?

7) Somos gratos aos que nos ajudam de um jeito ou de outro. Ficamos comovidos quando recebemos fotos dos gatos adotados conosco nos novos lares, inclusive depois de 1 ano ou mais da adoção.

Quer nos conhecer melhor? Navegue no nosso site ou blogs ou contate tocadosgatinhos@gmail.com

Nossa missão

Olhei para os animais abandonados nas ruas, praças... os renegados da sociedade humana.

Vi em seus olhos amor e esperança, medo e horror, tristeza e a certeza de terem sido traídos.

Eu me revoltei e disse:
- "Deus, isso é horrível! Por que o Senhor não faz nada a respeito?"
E Deus respondeu:
- " Eu fiz. Eu criei você."
        

Promover a adoção responsável de gatos castrados.

Projeção para reprodução de felinos:

1o ano
12
2o ano
66
3o ano
382
4o ano
2.201
5o ano
12.680
6o ano
73.041
7o ano
420.715
Total
509.097

Com base nesses dados podemos concluir que:

Esterilizando 1 fêmea, em 7 anos não nascerão 509.097 gatos
Esterilizando 10 fêmeas, em 7 anos não nascerão 5.090.970 gatos
Esterilizando 100 fêmeas, em 7 anos não nascerão 50.909.700 gatos
Esterilizando 1000 fêmeas, em 7 anos não nascerão 509.097.000 gatos.

          Portanto, se cada um de nós esterilizasse ao menos os próprios animais, os sacrifícios em massa nos Centros de Controle de Zoonoses (as "carrocinhas") poderiam ser evitados.

Até quando vamos matar?